De acordo com as estatísticas da Organização Internacional do Trabalho (OIT) (dados de 2020), a cada 15 segundos, morre no mundo, um/a trabalhador/a em virtude de um acidente de trabalho ou de doença relacionada com a sua atividade profissional.(1).

No dia 17 de setembro de 2021, a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a OIT publicaram o relatório mundial de monitorização dos acidentes e das doenças profissionais ou relacionadas com o trabalho, Joint Estimates of the Work-related Burden of Disease and Injury, 2000-2016: Global Monitoring Report  , no qual, estimam que as doenças e acidentes relacionados com o trabalho foram responsáveis pela morte de 1,9 milhões de pessoas em 2016, das quais se estima que 138 ocorreram em Portugal. Neste estudo, a maioria das mortes relacionadas com o trabalho foi originada por doenças respiratórias e cardiovasculares.

Já no que respeita à doença profissional, de acordo com o documento da ACT, “Atividade de Inspeção do Trabalho: Relatório 2016” (pág. 33 a 36), foram declaradas em 2016, 4.189 doenças, das quais, a maior prevalência é de Afeções Músculo Esqueléticas (3.503).

Sabemos que, a prazo, a prevalência da doença mental irá aumentar de peso, nomeadamente devido: ao stress ocupacional, ao burnout e à depressão.
As pessoas estão neste momento, bastante mais alertas para os seus sintomas do foro psicológico e mental, do que há poucos anos.

Para isto contribuiu sem dúvida a vivência da pandemia Covid 19 em que todos nós, ou quase, vivemos realidades de trabalho diferentes e sentimos todos como seres humanos o quanto somos vulneráveis. Durante este período, as empresas e as pessoas, foram postas à prova na sua resiliência física e mental.

A vida passou a ter um valor inestimável e vivê-la com qualidade, incluindo no trabalho, passou a ser assumido como um requisito obrigatório.

Na Ecosaúde, as equipas de Segurança e Saúde Ocupacional passaram a integrar a Psicologia Clínica na avaliação de muitas situações de queixa, ou já de doença. O risco psicossocial, o stress, a saúde mental em geral, são vistos de forma integrada.

Mas a resposta não é apenas reativa, o trabalho da Ecosaúde concentra-se na Prevenção de Riscos Profissionais, junto das empresas e organizações clientes, através da prestação de serviços de segurança e saúde do Trabalho, da Psicologia Clínica, mas também da Formação, promovendo webinar’s, ações de curta duração onde se pretende informar e mudar comportamentos que permitam uma vida mais saudável.

Aos poucos o conceito de Promoção da Saúde e de Bem-Estar no Trabalho, tem vindo a instalar-se nas dinâmicas empresariais, nas atividades de Segurança e Saúde no Trabalho, na gestão de Recursos Humanos, na Liderança das empresas e na vontade do trabalhador.

As organizações mais atentas às mudanças organizacionais e com sentido estratégico reconhecem o capital humano como o seu maior recurso e sabem que mantê-lo satisfeito e com saúde conduzirá a maior grau de motivação e consequentemente, a maior produtividade.

É assim, do interesse comum de empregadores e empregados promover a saúde no trabalho e estilos de vida saudáveis.

A definição de promoção da saúde no local de trabalho

A promoção da saúde no local de trabalho é definida pela Rede Europeia para a Promoção da Saúde no Local de Trabalho (ENWHP) da seguinte forma: “A promoção da saúde no local de trabalho são os esforços combinados de empregadores, empregados e sociedade para melhorar a saúde e o bem-estar das pessoas no trabalho”.

Esta definição é baseada na declaração de Luxemburgo (1997) desenvolvida pelos membros da ENWHP (2). Na declaração do Luxemburgo, a promoção da saúde no local de trabalho (WHP) é descrita como uma estratégia empresarial moderna, que visa prevenir problemas de saúde no trabalho (incluindo doenças relacionadas com o trabalho, acidentes, lesões, doenças profissionais e stress) e aumentar as potencialidades de promoção da saúde e bem-estar no mercado de trabalho.

De acordo com a declaração de Luxemburgo, isso pode ser alcançado por meio de uma combinação de:

  • melhorar a organização do trabalho e o ambiente de trabalho
  • promovendo a participação ativa
  • incentivando o desenvolvimento pessoal

A pessoa vista holisticamente, está como nunca no centro das dinâmicas laborais.

Ângela Rodrigues
Diretora de Formação e Comunicação

 

(1) https://www.ilo.org/lisbon/temas/WCMS_650864/lang–pt/index.htm

(2) https://oshwiki.eu/wiki/Workplace_Health_Promotion